2017 e a Crise dos 20 e Poucos! Estou nela!

Olá Beauties! Tudo okay? :}
Hoje o post é cômico e triste ao mesmo tempo. Na verdade, não triste, reflexivo. E até gracioso de tão trágico. kkkk'




Me encontro oficialmente na tão comum e temida Crise dos 20 e Poucos.
Estou há algum tempo querendo e ao mesmo tempo enrolando para escrever sobre isso. E 2017 foi meio que o ápice, por diversos motivos. :}

Antes de tudo, acalmem-se, este não será um post relativamente triste. Apenas expressará a plena confusão ocorrida. :}

2017 - O Ano Que Podia ter pulado para 2018

Sim. 2017, eu te desprezo. Não diria que foi o pior ano da minha vida, pois foi 2015. Mas ao mesmo tempo, 2017 foi tão desgastante e vazio, que faz dele, ao menos para mim, um ano nada memorável em aspectos positivos para mim, e algumas pessoas ao redor e derredor. E é sério. ahahah' O ano que meu grupo musical favorito por quase oito anos, o 2NE1, acabou. Eu havia até feito um tributo um tempo atrás... Triste. :| kkkk'

O ano começou com o fato de eu ser convidado a fazer parte de um projeto. No entanto, tinha gente literalmente psicótica envolvida, algo evidente e prejudicial, e óbvio que, deu ruim. hahahaah' E por vezes, a gente não perde nada, pelo contrário, se livra. Uma das coisas que aprendi de 2015 pra cá. :}

Simultaneamente, o ano já começou bem de partir o coração. Um querido amigo e membro lá do Cronograma Capilar, que fazia parte lá do nosso grupo desde praticamente o início, sendo um dos membros mais ativos, acabou por partir deste mundo, de uma forma bem revoltante, sem ter feito nada. A notícia chegou por uma amiga mais próxima a ele,que é a Queila, moderadora do Crono. Num primeiro momento eu pensei que ela estivesse fazendo um primeiro de abril adiantado, não dava pra crer. Foi ao ver o fato começar a ser noticiado em sites variados que a ficha começou a cair. E foi deprimente. Chorei por semanas. Fora que na via principal do caminho para o trabalho sempre passavam ônibus da marca do sobrenome dele, Gontijo. Portanto, eu todo dia era lembrado do fato. =/
Foi deprimente saber que uma pessoa tão querida e do bem se foi, e assim, de forma tão abrupta. Eu havia falado com ele uns dois ou três dias no máximo antes do ocorrido. E de verdade, isso pautou meu ano todo. Lembro de um de seus últimos comentários lá no grupo, "Eu, você, Tiago e Enzo, os Crono Boys", que marcou e garantiu risos divertidos antes daquele fim de semana fatídico. Hoje, quando aparece algum post mais antigo, eu até me arrepio quando vejo um comentário dele (=/). Ficar pensando que um jovem do bem, perdeu a chance de continuar escrevendo sua história, é algo que ficou enraizado em minha mente, e foi aos poucos inserindo em meus pensamentos a mensagem "O que estou realmente fazendo com a minha vida?".


Esta frase guiou meu ano por completo, e a decorrência de fatos culminantes de 2015 pra cá, só intensificaram este sentimento que tomava conta do meu "norte".

Considero que é meio complicado você se situar em um mapa e decidir de forma definitiva coisas como "Quem é você?" ou "O que você representa para si e para os demais?". E passei meses e meses tentando encontrar respostas.

Acontece, que eu inclusive esta doente, fui começando a me recuperar no início deste ano. Ainda é um tópico sensível, mas quem sabe, logo eu não comente com vocês. Então, a reclusão de 2016 pra cá é justificável. E foi em meio a ela que eu refletia cada vez mais.

Eu meio que fazia diversificados flashbacks no meu passado, tentando encontrar o que eu procurava, minha essência. Pois por algum motivo, eu estive me sentindo perdido, e de certo modo, ainda estou. Percebi que minha vida foi guiada não por mim, mas pelo pensamento dos outros. Afinal, quando você é jovem e imaturo, você é completamente mais vulnerável e manipulável aos estímulos, depreciações e frustrações de terceiros. Como uma criança. Ela não vai automaticamente saber que comer chocolate demais fará mal a ela até que uma pessoa mais velha faça a ressalva. De mesmo modo, opiniões pessoais, crenças e valores são passados, e quando seres pequenos, acabamos não tendo discernimento pleno do que seria melhor ou pior para nós mesmos.

Um simples sumário, a exemplificar...


  • Desde pequeno, eu sempre escutei de pessoas variadas que eu deveria ir em algum concurso de jovens talentos, pois eu cantava muito bem. E no fundo, eu gostava mesmo da coisa, sempre quis ser cantor. Mas eu era muito tímido.
  • Eu cheguei a me interessar em futebol por um momento, e pasmem, eu até fiz "escolinha de futebol". No entanto, eu não conseguia fazer aquele bendito movimento da embaixadinha... E me revoltei, e saí. hahahaha' E eu também não era um dos melhores jogadores. Esporte não era pra mim.
  • Conforme a idade passava, eu percebia que o que eu queria mesmo, era estar relacionado com a música, sendo cantor / músico. Cheguei a comentar com pessoas próximas e amigos de família. E sabe aquele ditado, "o que ninguém sabe, ninguém estraga"? Pois é... E imaturo, ouvia coisas terríveis, e fui aos poucos me afastando disso.
  • Apesar de, ter iniciado curso de canto e música em um conservatório (sou tenor, aliás, ótimo em notas altas, péssimo em notas muito baixas), e inclusive já ter composto algumas, ter mais de 100 letras de música escritas, com sentimentos de um adolescente, mas enfim... hahaha' Esse ano mesmo digitalizei essas letras e joguei os papéis fora.
  • Aos poucos, após de afastar disso, eu comecei a me interessar por psicologia. Eu gostava e gosto da coisa, entender o comportamento humano. E inclusive, costumo ser o "terapeuta dos amigos", inclusive um deles me chamando de psicólogo até hoje. Mas novamente, pessoas diziam que era uma coisa que não dava dinheiro e tal. O básico.
  • Aí, eu por um acaso da vida, decidi ser blogueiro. E isso é tudo culpa minha! :} kkkk'
Meu interesse como blogueiro, era o mais ingênuo e inofensivo possível. Compartilhar experiências e opiniões, sem nenhuma real pretensão monetária. Eu queria com isso ajudar pessoas. E analisando, eu diria que este objetivo já foi plenamente alcançado, e faz tempo. Auxiliei infinitas pessoas com o Cronograma Capilar nos últimos seis anos. Pessoas desconhecidas, pessoas que eu até mesmo nem conheço. Então, tenho que me sentir feliz por isso. Sim, meu objetivo como blogger foi alcançado. Inclusive fiquei no palco de uma das maiores marcas de cosméticos nacional durante a maior feira de beleza da América Latina. 


Participei até de polêmicas, inclusive contra gente poderosa, sendo apenas um garoto "qualquer". Sou inclusive pessoalmente elogiado por alguns jornalistas, e isso é fantástico. Elogiado por distribuidores que diziam que meus posts auxiliavam em seu trabalho. Muita coisa. Até mesmo cabeleireiros me pedindo dicas, já que eu estudei o aspecto científico da coisa, e não apenas técnico. :}

Aí vai chegando a maturidade, a experiência, o desenvolvimento do senso crítico e pessoal e você começa a definir suas próprias crenças e valores, aparte ou relativamente ligados aos de terceiros. E você começa a ver que o que fazia sentido para você outrora, já não faz mais agora. O que você costumava gostar, já não é mais o que você gosta hoje. Seus hobbies mudam, seus amigos, seu animal de estimação. E isso é bom! Pois se numa escala de cinco anos da sua vida, você sentar e ver que nada mudou, meu amigo, você tem um problema para resolver. A vida é para que você viva, aprenda, absorva, experimente, sorria, chore, corra, tudo, menos ficar estagnado no mesmo lugar. Só a nível de comparação singela, quando eu comecei o blog e grupo em 2011, eu era ainda fanático pela cantora Avril Lavigne. Hoje em dia, em 2017, eu gosto dela, mas já não mais me vejo como um dos maiores fãs. Eu mudei. :}

O problema é que, eu sempre fui considerado "inteligente" e maduro demais pra minha idade, em comparação com pessoas da minha faixa etária, inclusive, tenho mais facilidade de proximidade com gente mais velha do que mais nova. E o que acontece, é que de 2011 pra cá, eu acabei muito próximo de gente na casa dos 30, 40, 50, 60, tendo apenas chegado a primeira parte dos meus 20. E como sabemos, gente nessas faixas etárias já estão com a vida desenvolvida, ou chegando lá. Acontece que por estarem em patamares elevados da vivência, existia uma cobrança absurda de que eu deveria estar no mesmo patamar, como se eu tivesse obrigação de ter carros, uma carreira significativa, pelo menos um milhão no bolso, entre outros, sendo que em comparação, eu era/sou uma criança perto dessa gente. E para a minha idade, creio que as conquistas que realizei já foram até que bem significativas. Apareci até em revista, mas não mencionei, pois não sou exibicionista. Aliás, perceba-se que no Instagram mesmo, eu tenho apenas um perfil pessoal, e não um de blogueiro e afins. Não é meu perfil. :}

A ficha caiu que eu tinha que começar a viver a minha vida, sob as minhas prerrogativas, quando em setembro alguém me disse que eu "deveria investir no Instagram", e fazer isso, e fazer aquilo, e blá blá blá da poluição midiática que temos hoje em dia nas redes sociais. E se meu objetivo fosse me tornar uma sub-celebridade, isso até ajudaria. Mas a questão é, esta pessoa chegou a me perguntar se era isso que EU queria? Pois é, não. E aí os meus flashbacks fizeram sentido. Eu passei a vida vivendo sob os conceitos, ideais e expectativas dos outros e não das minhas próprias. Passei, por exemplo, esses últimos seis anos vivendo para os outros, em prol dos outros. Coloquei marcas lá em cima, que hoje, me tratam como seu eu não fosse ninguém. Por isso mesmo comecei a fazer cada vez menos resenhas. 

Comecei a tentar ver quem eu sou. Sou tido como uma pessoa comunicativa, inclusive escutei isso ontem de colegas da facul, embora eu mesmo não me ache como tal. Esse ano, eu raspei o cabelo, e vocês nem souberam disso até este exato momento. :} ahhahaha' Foi como um "desvinculo". Em algumas culturas mais antigas, tirar os cabelos era visto como sinal de renovação, e era disso que eu estava precisando. Agora o cabelo está crescendo de novo. Fiquei loiro e tirei em menos de uma semana, pois vi que não mais me representa, apesar de ser o visual utilizado quando comecei o blog.


Enfim, hoje eu sou outra pessoa. O Felipe Ursini que existia em 2011 não existe mais, hoje o sou outro. Eu havia até singelamente postado duas fotos em dias diferentes no meu Insta e perfil do Facebook, demonstrando isso, com meu ar de mistério, em uma foto dual, uma com um olhar mais frio e vazio, e outra mais dócil, mas também vazia.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e close-up

Creio que algumas pessoas tenham captado, mas não todas. :} ahhaha' Até minhas séries favoritas acabaram, só tem mais uma, The Originals, que aliás, vai acabar no primeiro semestre de 2018. Então, é um sinal. Tudo se renovando. :}

E a diferença é tão intensa que desta vez eu diretamente disse um NÃO bem grande para um abuso e exploração que estava a vir na minha vida. Coisa que o Felipe antigo não teria coragem de fazer. E é outra coisa, aquilo que você permite, é o que vai acontecer. :}

Aprendi que o que as pessoas mais falam é uma mera projeção delas mesmas e seus valores sobre você. Então, diz mais respeito sobre elas do que qualquer outra coisa. Afinal, a boca só fala o que o coração está cheio. Ninguém dá o que não tem. Uma pessoa carinhosa dá amor, quando uma pessoa rancorosa dá dor. E assim vai...

Eu estou apenas no começo da minha vida, não tenho que agir em plenitude como uma pessoa de cinquenta. Aliás, já tive bastante responsabilidade para minha idade, fui presidente de grêmio estudantil, monitor, estagiário e representante de classe no meu último ano de escola. hahahah' Aprendi e falo inglês sozinho, consigo captar conceitos de marketing e comunicação em um pulo, percebi que enquanto gente que eu gostava me traía ou não gostava de volta, gente que eu nem imaginava, no fundo, gostava de mim. Percebi quem meus amigos eram e quais não eram. Finalizei o segundo volume do meu livro com 1024 páginas e iniciei o terceiro. Adquiri resiliência, temperança. Conheci pessoas do bem maravilhosíssimas ao fim deste ano (Wagner Tenório, Monique Melo, <3), que me ensinaram coisas que levo pra vida como "Gente complicada complica a gente"  e "A vida é feita de passos. Você é um bebê, sua hora vai chegar. Tenha calma.". Enfim, muita coisa. Estou cortando o mal da minha vida. Gente ruim, vil, parasitária, olha, tô cortando da minha vida assim como os ventos cortam a temperatura em instantes.

E bem, finalizando. Sinceramente, eu estava pensando em dar um gran finale aqui no blog e dizer Goodbye pra vocês. Algo que no fundo, eu nunca quis. Quero transmitir coisas novas. E por isso mesmo, estou escrevendo este post. Para que saibam que preciso de um retiro, mas que também vou ficar, e em novas capacidades. Espero que com as coisas caminhando corretamente e for da vontade de Deus, eu esteja com vocês em breve não apenas escrevendo, mas sim, falando com vocês. Espero que captem a mensagem desta vez, beauties. :} haahahh'

Reparem que até o "blog" mudou. Antes era o Beauty 'n' Roll destacado, com singelas menções do meu nome no layout, agora é Felipe Ursini, e Beauty 'n' Roll, é um legado, um slogan apenas. Agora quero que conheçam me conheçam. Não tenham medo, podem me adicionar no Facebook. kkkk' :}

Então é isso, eu quero mais é agradecer o carinho de todos vocês. Eu poderia citar aqui vários e vários nomes, mas eu certamente acabaria deixando alguém de fora. Então, saibam, vocês, meus leitores, beauties, cronos, felipets e afins. Amo muito vocês, e muito obrigado por existirem e estarem comigo nestes seis, cinco, quatro, três, dois, um ou menos de um ano. :}

Este é só o começo. =*



E agora, um capope aqui pra escutarmos e nos divertirmos. A melhor músicado ano pra mim, (apesar de "Despacito" ser tendência) "All Night" do Garotas' Geração, que também, pode ser que acabe, com já quatro membros fora do grupo... Ou seja, está tudo acabando mesmo! kkkk' .-.




Temos que nos valorizar, afinal, o valor que você dá a você, é o valor que vão dar a você. A forma como você se trata, é a forma que irão lhe tratar. O que que você transmitir, é o que vai atrair. 

Lembrem-se, sempre que o sol nascer, há sempre uma esperança. Essa frase é minha. kkk' :}




Abraços, with love